Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Saúde em chamas

[Na Sombra do Poder: Saúde em chamas]
Por: Editoria de Política 0comentários

Saúde em chamas
A Operação Kepler, que investiga fraudes em contratações de unidades de saúde UPA e Multicentros, todas vinculadas à Secretaria da Saúde de Salvador, esquentou a prefeitura. Fontes desta coluna afirmam que os ânimos estão acirrados por lá. É um empurrando para o outro, bate boca e confusão. Ninguém quer esticar o braço na seringa da bomba chamada Instituto Médico de Gestão Integrada (Imegi), que recebeu mais de R$ 200 milhões em pagamentos da prefeitura de Salvador nos últimos três anos. 

De olho
O fato é que o prefeito ACM Neto já determinou o levantamento de todas as informações de contratos e aumentou a lupa em cima de algumas pessoas que trabalham com o secretário da Saúde, Luiz Galvão.

Na corda bamba
Estaria Luiz Galvão na corda bamba após a operação da PF? Por mais que não envolva diretamente a sua gestão, aconteceu durante ela e respinga, sim, na possibilidade de saída da pasta. A conferir.

Vereadores atentos


Enquanto a bancada de oposição na Câmara de Vereadores se movimenta para conseguir 14 assinaturas para a criação da Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar as fraudes na Saúde de Salvador, tem vereador garantindo que o colegiado não vai existir. Kiki Bispo disse, em alto e bom som, que “de forma alguma vai deixar instalar a CEI”. Será que o vereador está se achando delegado da Polícia Federal?

Raposa no galinheiro
Você já viu raposa tomar conta de galinheiro? Pois bem, tem um diretor que controla contrato de terceirizadas em uma forte secretaria da prefeitura de Salvador e tem aproveitado da função para nomear familiares nos postos controlados por ele mesmo. Estamos de olho!

Conversas de pé de ouvido


Bruno Barral está todo serelepe com a possibilidade de se lançar como candidato à prefeitura de Lauro de Freitas. O titular da pasta da Educação já está quase fechado com o prefeito ACM Neto para lançar o seu nome ao posto e baterá de frente com Moema Gramacho (PT). A ideia é fazer uma dobradinha com Teobaldo Costa, dono da rede de lojas Atakarejo.

Passando o pires
A base aliada da Prefeitura de Salvador na Câmara de Vereadores está reclamando que não tem seus pleitos atendidos por ACM Neto. Todo dia, um vereador com pires na mão encontra as portas do Palácio Thomé de Souza fechadas. A insatisfação é cada vez maior.

Nada novo


A ida de Fábio Mota na Câmara Municipal de Salvador surpreendeu pela ausência do fator novidade. Havia uma expectativa de que o titular da Semob trouxesse alguma nova emenda ou projeto específico para os taxistas. Na verdade, ele voltou a defender a manutenção do projeto original enviado pela prefeitura. Ou seja, quer que tudo volte à estaca zero.

Só no discurso


Os taxistas marcaram presença em peso no Salão Nobre da CMS para pressionar os vereadores durante a sessão com a presença de Mota. E até mesmo alguns edis que nos bastidores estão do lado dos aplicativos privados, entraram na onda e fizeram discursos inflamados em defesa da categoria. Estamos de olho.

A não defesa é o melhor ataque

O vereador Alexandre Aleluia (DEM) desceu o sarrafo no secretário de Mobilidade Urbana de Salvador, Fábio Mota. Aleluia preside a CCJ na Câmara, onde foi aprovada uma versão do projeto que regula o serviço de transporte por aplicativo que desagradou bastante o secretário. Paulo Magalhães, líder de governo, assistiu mudo às críticas de Aleluia e não fez nenhum movimento em defesa de Fábio Mota. O silêncio dele foi lido também como um ataque.

O encontro

Ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que se filiou ao DEM do prefeito ACM Neto no ano passado, foi visto em um famoso restaurante especializado em comida japonesa em Salvador. As fotos chegadas ao BNews foram feitas na noite desta quarta-feira (27) no Shiro. A pergunta que não quer calar: por quem o ex-emedebista esperava no Shiro?

Coqueluche
Alguém me explica por que o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, só fala em “coqueluche” em toda inauguração do Programa Morar Melhor? Para quem não sabe, “coqueluche” não é só uma doença infecciosa aguda e transmissível, que compromete o aparelho respiratório, mas era uma gíria dos anos 40: assunto do momento. Vice, bora se atualizar né?

Quem vai sangrar primeiro?

Da série "Não chame para a mesma mesa": a guerra de titãs desta vez é entre o chefe de gabinete da prefeitura de Salvador, Kaio Moraes, o deputado federal João Roma e o vice-prefeito Bruno Reis. A briga de egos pelo poder em torno do prefeito ACM Neto abriu uma concorrência feroz entre eles. Os três estão se bicando e o clima está feio. Neto, por ora, assiste de camarote o combate ferrenho dos seus soldados. Quem vai sangrar primeiro?

Tragédia na mansão


Veio a chuva e um tanto de frio, mas o assunto não pode virar um iceberg. E o caso da morte dos trabalhadores da Mansão Costa Pinto? Não vamos deixar cair no esquecimento. A administração do prédio de luxo vai passar ilesa? O síndico calou-se e, enquanto isso, as famílias das vítimas se movimentam para uma ação estrondosa contra o gestor do prédio. Advogados já estão a postos e se organizam para uma verdadeira batalha na Justiça. Até um “gerenciador de crise” foi contratado para apagar o fogo e falar pelo condomínio. É esperar para ver.

Caim e Abel
A briga entre dois irmãos bem conhecidos da sociedade baiana anda mais feia do que nunca. Eles brigam por bilhões de reais. Um acusa o outro de ter “passado a perna” nos negócios da família e soltam ameaças um para o outro. Esta coluna apurou que já tem bombeiros em cena para apagar o fogo, mas sem êxito até o momento. Sabe-se também que outros negócios da família são nebulosos. Lamentável... 

Desespero na AL-BA


Após assumir a gestão na Assembleia Legislativa da Bahia, o presidente Nelson Leal tem reclamado aos quatro ventos do abacaxi que herdou de Angelo Coronel. Onde chega, ele deita o sarrafo no antigo presidente da Assembleia baiana. O negócio é tão sério que até racionamento de água está sendo feito nos gabinetes. As contas estão tão ruins que o presidente até suplementação antecipada já avisou que vai pedir ao governo. As contas não estão nada boas. Venderam gato por lebre para o jovem deputado.

Bora trabalhar?
Falando em AL-BA, a morosidade reina. Até agora nada de projeto importante aprovado. Só vetos. As comissões até estão funcionando, mas plenário que é bom, nada!

Magoou
O deputado estadual Marcell Moraes (PSDB), que transferiu seu título para Vitória da Conquista a fim de disputar a prefeitura da cidade, ficou magoado após não ter sido citado pelo atual prefeito, Herzem Gusmão (MDB) como um dos parlamentares que representam o município. À rádio Metrópole, o emedebista mencionou os deputados José Raimundo Fontes (PT), Fabrício Falcão (PCdoB) e Waldenor Pereira (PT). Moraes lamentou: “Tive quase 10 mil votos nas últimas eleições em Vitória da Conquista. Essa é a melhor resposta. O engraçado é que ele [Gusmão] não conseguiu eleger sequer um deputado e eu fui eleito sem apoio de nenhum prefeito do interior”, disparou, ao ser provocado pelo Blog do Anderson.

Barraco cá


Falando na família Moraes, o fato de a vereadora Marcelle Moraes integrar o minuto de silêncio feito na Câmara em respeito à morte da líder religiosa, educadora e ativista negra, Makota Valdina, à morte de um hipopótamo no zoológico, ainda dá o que falar. Essa semana foi barraco na Câmara e na AL-BA. No paço municipal, candomblecistas protestaram contra Marcelle, exigiram respeito e avisaram que vão entrar com representação no Ministério Público. Não satisfeita, a vereadora acusou os manifestantes de racismo por ser chamada de “branca escrota” e reiterou o pedido de minuto de silêncio pela morte de um animal. O pedido foi negado pelo presidente da Casa. A galeria se desesperou com a considerada “tamanha falta de respeito da vereadora”. A polícia teve que intervir. E a mensagem foi clara “não mexa com a memória de Makota, muito menos com o povo de santo”. 

Barraco lá
Na AL-BA, Marcell foi a favor da irmã e bateu boca com a deputada Olívia Santana. Foi um chilique só. Em resposta, Olívia chamou de “provocação baixa” a fala do protetor dos animais.

Em baixa
Não passou despercebido ontem (27) o fato de que a sessão em homenagem aos 70 anos dos Filhos de Gandhy e aos 470 anos de Salvador, na Câmara dos Deputados, transcorreu com o plenário completamente vazio. Conduzida pelo deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) e com a presença de outros parlamentares baianos, o evento, ou foi mal divulgado, ou contou com pouco empenho dos envolvidos para trazer expectadores.

Tiete de Guedes


O deputado federal Marcelo Nilo tem se esforçado para chamar a atenção em Brasília. Como a sua participação tem sido pífia, resolveu partir para as redes sociais e tietar algumas figuras do Cerrado: postou foto com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Melhore, viu?

Síndico I
Um funcionário de alta patente do gabinete do governador, antes ouvido para a tomada das principais decisões políticas e administrativas do governo, hoje tem como atribuição apenas cuidar do Palácio de Ondina. Ele manda e desmanda na administração da residência oficial do governador. Por ele, passam todas as compras e serviços necessários ao atendimento da boa estadia do chefe do Executivo baiano. Além disso, é também responsável pela comida e pelos cuidados com os animais que lá habitam: bodes, galinhas e até um pônei.

Síndico II
Na ausência de pedidos de opiniões sobre os principais temas do governo, por parte do governador, o síndico tem se empenhado em atrapalhar as articulações políticas dos partidos da base aliada. Faz uma picuinha aqui, fala mal de alguém acolá, tudo para tentar mostrar que alguma importância lhe sobrou.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas