Denúncia

PM à paisana é acusado de ameaçar populares com pistola em Parapiranga: “Eu passo o cartucho”

[PM à paisana é acusado de ameaçar populares com pistola em Parapiranga: “Eu passo o cartucho”]
15 de Junho de 2019 às 16:00 Por: Reprodução/Youtube Por: Vinícius Ribeiro 0comentários

Um policial militar é acusado por moradores de Parapiranga, a 366 quilômetros de Salvador, na divisa com Sergipe, de abusar da autoridade ao ameaçar dezenas de pessoas em via pública. Na noite desta sexta-feira (14), o PM Eliezer Ribeiro Santana Júnior foi flagrado com uma pistola em punho desafiando 'qualquer um a bater no seu carro'.   

A ação foi registrada em vídeos por populares. Nas imagens, o PM, de camisa xadrez, aparece esbravejando e chutando mesas e cadeiras do bar Point do Fusca, localizado na Rua Salustiano Domingos de Santana. “Bata no meu carro quem quiser aqui, vamos ver quem é o homem aqui, eu passo o cartucho. Encosta só um aqui, só um (...). Eu aperto o dedo. Eu passo o dedo em qualquer um aqui”, ameaçou, enquanto insinuava que estabelecimento é frequentado por usuários de drogas.

Não há informações sobre as circunstâncias que iniciaram a confusão, mas os primeiros relatos colhidos pela Polícia Civil apontam que a movimentação de pessoas e veículos em via pública tenham incomodado o militar. Uma mulher que o acompanhava aparece nas imagens tentando acalmá-lo.

De acordo com o delegado Eduardo Henrique, titular da Delegacia de Polícia local, com base nas informações preliminares, após as ameaças, o policial deixou o local e depois voltou acompanhado de uma guarnição da 21ª Companhia Independente da Polícia Militar, onde é lotado, ao perceber que era filmado.  Um adolescente de 17 anos que registrava a confusão foi apreendido pela equipe policial.

Enquanto o jovem era conduzido, Eliezer alegou ter sido desacatado. Entretanto, outro homem que registrou a apreensão afirma no vídeo: “O cara não fez nada”. “Ele é de menor, vai levar um cara de menor?”, diz outra testemunha.

Veja o vídeo:

 

Segundo o delegado, o jovem já foi liberado. Eduardo Henrique contou ao BNews que, pelo fato do funcionamento em regime de plantão, começará a colher os depoimentos a partir de segunda-feira (17) para decidir por abertura de inquérito policial. “Eu vou analisar as ações para dar andamento ao procedimento”, explicou.

Ainda segundo o delegado, a dona do bar ficou de comparecer à Delegacia de Polícia neste domingo (16) para “registro de queixa de dano” contra o PM, pelos prejuízos causados no estabelecimento.  

TORTURA E MORTE - Ao BNews, uma fonte em anonimato disse que a atuação do policial militar na região é conhecida por abusos de autoridade. Em 2016, ele foi acusado de ser responsável pela morte de um pai de santo durante uma abordagem. “Ele foi atender uma solicitação de som alto e pegou o rapaz, chutou ele no chão, atingiu o baço e o rapaz morreu”, relatou. Para ser absolvido, afirmou a fonte, “ele ficou intimidando as testemunhas, que depois mudaram os depoimentos”. O caso foi confirmado pela delegacia.

Em outro caso, conforme o denunciante, Eliezer, que tem um suposto parentesco com um juiz de Sergipe, é acusado de torturar e sumir por horas com uma mulher que também teria o desacatado. Consta um registro no Diário da Justiça de 26 de setembro de 2018 para apurar a responsabilidade da mulher pelo crime de desacato.

O BNews não conseguiu estebelecer contato com o acusado. A reportagem tentou contato com os proprietários do bar, mas as ligações não foram atendidas no número fornecido. Também procurado pelo BNews, o Departamento de Comunicação Social da PM-BA informou que a demanda foi encaminhada para a Corregedoria e assim que tiver retorno vai se pronunciar.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas